Comic-Con San Diego, Séries de TV e Cinema A cobertura da Comic-Con feita por um brasileiro para brasileiros e muito mais!
  • scissors
    May 14th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Essa bomba sobreviveu

    Parecia uma briga de foice em um quarto escuro. Ontem as grandes redes americanas de TV aberta abriram a caixa de ferramentas e o resultado foi um verdadeiro banho de sangue no horário nobre. Mas a sexta-feira 13 não foi só de más notícias. Algumas séries foram renovadas, inclusive – a aparentemente imortal – “Chuck”. Além disso, NBC, CBS, ABC, FOX e, até a CW, começaram a anunciar os projetos escolhidos para virarem séries na próxima temporada.

    Abaixo, farei um balanço dos acontecimentos, dando minhas opiniões sobre as decisões.

    Como bem disse minha amiga Marina Musa do Cine Séries, “a ABC ligou o fo%$-se” e cancelou “Better With You”, “Brothers & Sisters”, “Detroit 1-8-7”, “Mr. Sunshine”, “No Ordinary Family”, “Off The Map” e “V”, renovando “Body of Proof”, “Desperate Housewives” e “Happy Endings”.

    A grande maioria faz sentido, principalmente por conta do esgotamento de “Brothers & Sisters”, da falta de pegada de “V” e de qualidade das demais, mas duas decisões da ABC me deixaram triste. A renovação da péssima “Body of Proof” e o cancelamento da melhor sitcom lançada nessa temporada, “Better With You”. Não discordo delas, pois acredito que, na maioria das vezes, as redes tomam essas decisões de negócio embasadas pelas estatísticas de audiência e cálculos de custo/benefício. Está dando lucro, fica, não está, roda. É duro, mas é isso.

    A CBS foi a única das grandes redes que não anunciou nada além da aprovação de alguns projetos. Falo deles mais tarde.

    A FOX começou a carnificina no meio da semana. Cancelou “Breaking In”, “The Chicago Code”, “Human Target”, “Lie to Me” e “Traffic Lights”. Dessas, apenas “The Chicago Code” merece considerações. Particularmente gostava muito dela.  Além de um ótimo elenco, Shawn Ryan escreve bem demais. Fica a sensação que se fosse exibida na CBS, por exemplo, seu destino poderia ser bem diferente. No cômputo geral, A FOX merece crédito por ter renovado “Fringe”. Essa sim, uma decisão muito mais baseada em qualidade do que em lucro.

    Zachary Levy e o colírio Yvonne Strahovski

    A NBC, a lanterninha em termos de audiência, precisa de mudanças e elas virão. Animada pela boa estreia do reality show (eu odeio) “The Voice” no fim da temporada, a outrora líder quer virar o jogo. Passou a régua em “The Event”, “Law & Order: Los Angeles”, “Outsourced” e “Perfect Couples”, e renovou “Parenthood”, “Harry’s Law”, e surpreendentemente, “Chuck”.

    Não me entenda mal. Eu adoro o espião atrapalhado que conquistou a loira dos sonhos (dele e de qualquer homem heterossexual do planeta). O problema é que a audiência da série vem mal das pernas no fim da temporada, batendo recordes negativos na faixa etária dos 18 aos 49 anos. O voto de confiança da emissora ao encomendar 13 episódios para a próxima temporada pode ser encardo de duas formas. Ou eles querem dar uma chance para a série de ganhar tração, conseguindo depois os outros 9 para completar a temporada, ou essa será a leva final e os produtores e roteiristas precisam pensar em um plano de despedida. Pessoalmente, torcerei para “Chuck” enganar a morte mais uma vez.

    Eu gostava de “Outsourced”. Ela nos deus um dos melhores personagens da temporada, o Gerente Assistente Rajiv (Rizwan Manji), mas entendo que não tenha caído no gosto da maioria. “Harry’s Law” começou bem, mas perdeu gás e sua renovação me surpreendeu um pouco. Já “The Event” não entendeu a lição ensinada por “Flash Forward” na temporada passada: depois de “Lost”, séries de sci-fi disfarçadas de drama precisam ter algo mais, dar algo melhor ao público. Se ficar enrolando muito, a galera troca de canal. Os produtores ainda procuram uma alternativa para manter a série viva. O NetFlix, gigante de aluguel online e por streaming de filmes, anunciou que pretente passar a fornecer conteúdo original e pode ser o destino de “The Event“. Só não prendam a respiração esperando por isso.

    Detalhes sobre os projetos que foram aprovados e descartados em um próximo texto, ainda nesse fim de semana.

    Posts Relacionados:

    Tags: , , , , , , , , ,
  • scissors
    January 9th, 2011Edu TeixeiraSéries

    V“, a  refilmagem da mini-série de 1983,  que estreou em 2009 na ABC e acaba de inicar sua segunda temporada, é uma verdadeira seleção de atores habituados a trabalhar em séries de ficção científica, incluindo séries de fantasia (super-heróis). É verdade, que a maioria deles sempre teve papéis secundários, mas Joel Gretsch (“The 4400” e “Taken“)  é uma notável exceção. Confira a galeria abaixo e veja se eu me esqueci de alguém.

    Cincopa WordPress plugin

    Posts Relacionados:

    Tags:
  • scissors
    November 13th, 2010Edu TeixeiraSéries

    Veja abaixo o primeiro promo liberado do episódio de estreia da segunda temporada de “V“, que será exibido nos EUA em 04/01/2010.

    Para saber a data de outras estreias, use o calendário do blog.

    Posts Relacionados:

    Tags: ,
  • scissors
    August 15th, 2010Edu TeixeiraComic-Con, Séries

    Com muito atraso, mas certo de que antes muito tarde do que nunca, segue meu texto sobre o painel “Women Who Kick Ass” ou Mulheres que Chutam Traseiros, patrocinado pela “Entertainment Weekly”.

    Há bem pouco tempo, cinema e televisão raramente confiavam em mulheres para papéis de destaque em filmes de ação. Como protagonista então, era mais difícil ainda. Ainda bem que o cenário mudou e Angelina Jolie tem muito a ver com isso. Com filmes como Lara Croft: Tomb Raider , O Procurado e Sr. e Sra. Smith, a filha de Jon Voight pavimentou o caminho e outras seguiram.  Do recém lançado “Salt”, com a própria Angelina, a outros filmes já em produção, passando por séries de TV, as mulheres estão cada vez mais assumindo o controle e “chutando traseiros” como nunca antes.

    Inspirada por esse cenário auspicioso, a revista “Enterteinment Weekly” patrocinou o painel “Women Who Kick Ass” na tarde de 24 de julho, na Comic-Con 2010. Para deleite do público presente no salão de festas 20, a moderadora Nicole Sperling da EW recebeu as talentosas beldades Jena Malone (“Sucker Punch”), Anna Torv (Fringe), Elizabeth Mitchell (V e Lost), Ellen Wong (“Scott Pilgrim vs. the World“), e Mary Elizabeth Winstead (“Scott Pilgrim vs. the World“) para uma hora de discussão sobre a nova onda de heroínas de ação em Hollywood.

    Jena Malone revelou que nunca passou em nenhum teste físico, até ser escolhida para o incrivelmente físico papel de Rocket no novo filme de Zack Snyder (Watchmen) “Sucker Punch”. “E se eu não aguentasse o tranco? E se meu coração não suportasse correr na velocidade necessária?”, brincou Malone reconhecendo que passou por um programa rígido de condicionamento após conseguir o papel. Treinamentos com marinheiros americanos de elite, em artes marciais, e com especialistas em armas fizeram parte da preparação.  Na opinião dela, seu maior feito nas filmagens, no entanto, foi levantar mais de 150 kg como uma atleta olímpica. Jena Malone parecia séria ao dizer que “levantamento de pesos é como uma droga e eu me viciei”. As outras participantes encararam a atriz de aparência frágil com olhares de completo espanto.

    Elizabeth Mitchell, Anna Torv e Jena Malone

    Todas as atrizes do painel concordaram na importância em rodar cenas de ação sem a ajuda de dublês. Bem, pelo menos algumas delas. Mary Elizabeth Winsted disse que “todos os atores que eu conheço querem fazer suas cenas sem dublê”. Ela também revelou que temeu em ficar para trás no treinamento para o filme “Scott Pilgrim vs. The World”, pois ficou doente e perdeu duas semanas de trabalho físico. Já Wong disse ser “incrivelmente recompensador” fazer suas próprias cenas de ação e que “fazer um filme de super-herói dá uma sensação ótima de poder”. A despeito do discurso de todas sobre a importância de fazer suas próprias cenas de ação, Jena Malone fez questão de dar crédito às dublês ao dizer que “não dá para substituir vários anos de conhecimento e experiência com três meses de treinamento”.

    Mudando o foco para a televisão, Ana Torv destacou a inversão de gênero em Fringe. “Olivia é o homem, ela faz todo o trabalho duro enquanto os meninos ficam conversando na cozinha” e ainda revelou o apelido da Olivia do universo paralelo, usado internamente na produdução da série: “bOlivia”. Elizabeth Mitchell, que reconheceu ser “geek”, apontou para o fato do gênero ficção científica como um todo ser farto em papéis intrigantes para mulheres. “Eu fui criada com a crença de que não há nada que mulheres não possam fazer e acredito que si-fi é um eco disso”, disse Elizabeth Mitchell para aplausos gerais. “Existem mulheres sensacionais em ficção científica. Em V eu adorei que Erica é mãe, e que ninguém ao seu redor questiona sua força”, completou.

    A mediadora perguntou a cada uma das atrizes qual a cena de ação mais radical que já fizeram e a resposta de Jena Malone foi de longe a melhor. A atriz descreveu minuciosamente uma cena de “Suker Punch” na qual ela é obrigada a ficar pendurada de cabeça para baixo, a uma altura de quase 10 metros e consegue assim mesmo atirar e recarregar uma submetralhadora. Ela brincou: “A única pessoa que eu conheço que já descarregou uma submetralhadora estando de ponta cabeça foi o Ice Cube”

    Para não ficar para trás após a inspirada resposta de Jana Malone, Elizabeth Mitchell “apelou” dizendo “eu fiquei pendurada em um poço profundo”, em clara referência a Lost, para delírio do público presente. Mithchell disse ainda que em preparação para a Con, resolvou fazer queda livre. “Eu gritei e descarreguei tudo. Ok, agora eu estou pronta para a Comic-Con”.

    Abaixo, seguem os videos que fiz desse painel. Aproventem!

    Parte 1 de 4

    Parte 2 de 4

    Parte 3 de 4

    Parte 4 de 4

    Posts Relacionados:

    Tags: , , , , , , , ,
  • scissors
    July 13th, 2010Edu TeixeiraColetiva de Imprensa, Comic-Con

    A planiha (Programacao Comic-Con 2010 – Cine Series) que agora publico é apenas uma tentativa extremamente otimista de agenda para a cobertura da Comic-Con 2010. Conseguir cumprir 50% dela seria uma vitória e tanto. Serve, porém para dar uma idéia da grandeza do evento. Para a agenda completa, incluindo todos os eventos pelos quais eu sequer me interessei, clique aqui.

    Lembrem-se que os horários informados são da costa oeste americana, ou seja é – 4 horas em relação ao horário de Brasília.

    Posts Relacionados:

    Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
  • scissors
    July 7th, 2010Edu TeixeiraComic-Con, Preparação
    Comic-Con 2009: Avatar

    Sandy Huffaker para o The New York Times

    O site da Comic-Con ainda não divulgou o quadro de horários dos painéis de filmes e séries, mas como a internet é maravilhosa, consegui montar um esboço de programação do evento deste ano em San Diego. Ontem, fiz uma teleconferência com o pessoal do Cine Séries pra começarmos a definir prioridades já que este que vos escreve ainda não possui super poderes para estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. A lista das séries confirmadas é extensa e eu já posso adiantar que algumas das favoritas de vocês terão prioridade: Fringe, Bones, The Big Bang Theory, Supernatural, V, Glee, entre outras. Terei também a oportunidade de conferir em primeira mão duas novas séries produzidas pelo mestre Steven Spielberg, Terra Nova (sobre dinossauros) e Falling Skies (sobre alienígenas). Já a relação de filmes presentes ao evento ainda é pequena, embora o peso-pesado Harry Potter and The Deathly Hallows – último filme da bem-sucedida franquia – esteja mais do que confirmado.

    A expectativa é que a programação oficial do evento seja divulgada na semana que vem. Com ela em mãos, farei um calendário definitivo e o colocarei aqui no blog.

    A foto acima mostra a fila para a exibição em primeira mão do filme Avatar na Comic-Con 2009.

    Posts Relacionados:

    Tags: , , , , , , , , , ,