Comic-Con San Diego, Séries de TV e Cinema A cobertura da Comic-Con feita por um brasileiro para brasileiros e muito mais!
  • scissors
    May 14th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Essa bomba sobreviveu

    Parecia uma briga de foice em um quarto escuro. Ontem as grandes redes americanas de TV aberta abriram a caixa de ferramentas e o resultado foi um verdadeiro banho de sangue no horário nobre. Mas a sexta-feira 13 não foi só de más notícias. Algumas séries foram renovadas, inclusive – a aparentemente imortal – “Chuck”. Além disso, NBC, CBS, ABC, FOX e, até a CW, começaram a anunciar os projetos escolhidos para virarem séries na próxima temporada.

    Abaixo, farei um balanço dos acontecimentos, dando minhas opiniões sobre as decisões.

    Como bem disse minha amiga Marina Musa do Cine Séries, “a ABC ligou o fo%$-se” e cancelou “Better With You”, “Brothers & Sisters”, “Detroit 1-8-7”, “Mr. Sunshine”, “No Ordinary Family”, “Off The Map” e “V”, renovando “Body of Proof”, “Desperate Housewives” e “Happy Endings”.

    A grande maioria faz sentido, principalmente por conta do esgotamento de “Brothers & Sisters”, da falta de pegada de “V” e de qualidade das demais, mas duas decisões da ABC me deixaram triste. A renovação da péssima “Body of Proof” e o cancelamento da melhor sitcom lançada nessa temporada, “Better With You”. Não discordo delas, pois acredito que, na maioria das vezes, as redes tomam essas decisões de negócio embasadas pelas estatísticas de audiência e cálculos de custo/benefício. Está dando lucro, fica, não está, roda. É duro, mas é isso.

    A CBS foi a única das grandes redes que não anunciou nada além da aprovação de alguns projetos. Falo deles mais tarde.

    A FOX começou a carnificina no meio da semana. Cancelou “Breaking In”, “The Chicago Code”, “Human Target”, “Lie to Me” e “Traffic Lights”. Dessas, apenas “The Chicago Code” merece considerações. Particularmente gostava muito dela.  Além de um ótimo elenco, Shawn Ryan escreve bem demais. Fica a sensação que se fosse exibida na CBS, por exemplo, seu destino poderia ser bem diferente. No cômputo geral, A FOX merece crédito por ter renovado “Fringe”. Essa sim, uma decisão muito mais baseada em qualidade do que em lucro.

    Zachary Levy e o colírio Yvonne Strahovski

    A NBC, a lanterninha em termos de audiência, precisa de mudanças e elas virão. Animada pela boa estreia do reality show (eu odeio) “The Voice” no fim da temporada, a outrora líder quer virar o jogo. Passou a régua em “The Event”, “Law & Order: Los Angeles”, “Outsourced” e “Perfect Couples”, e renovou “Parenthood”, “Harry’s Law”, e surpreendentemente, “Chuck”.

    Não me entenda mal. Eu adoro o espião atrapalhado que conquistou a loira dos sonhos (dele e de qualquer homem heterossexual do planeta). O problema é que a audiência da série vem mal das pernas no fim da temporada, batendo recordes negativos na faixa etária dos 18 aos 49 anos. O voto de confiança da emissora ao encomendar 13 episódios para a próxima temporada pode ser encardo de duas formas. Ou eles querem dar uma chance para a série de ganhar tração, conseguindo depois os outros 9 para completar a temporada, ou essa será a leva final e os produtores e roteiristas precisam pensar em um plano de despedida. Pessoalmente, torcerei para “Chuck” enganar a morte mais uma vez.

    Eu gostava de “Outsourced”. Ela nos deus um dos melhores personagens da temporada, o Gerente Assistente Rajiv (Rizwan Manji), mas entendo que não tenha caído no gosto da maioria. “Harry’s Law” começou bem, mas perdeu gás e sua renovação me surpreendeu um pouco. Já “The Event” não entendeu a lição ensinada por “Flash Forward” na temporada passada: depois de “Lost”, séries de sci-fi disfarçadas de drama precisam ter algo mais, dar algo melhor ao público. Se ficar enrolando muito, a galera troca de canal. Os produtores ainda procuram uma alternativa para manter a série viva. O NetFlix, gigante de aluguel online e por streaming de filmes, anunciou que pretente passar a fornecer conteúdo original e pode ser o destino de “The Event“. Só não prendam a respiração esperando por isso.

    Detalhes sobre os projetos que foram aprovados e descartados em um próximo texto, ainda nesse fim de semana.

    Posts Relacionados:

    Tags: , , , , , , , , ,
  • scissors
    February 11th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Depois de uma série de estreias que não me empolgaram (“Skins”, “Perfect Couples”, “Retired at 35” *, “Portlandia” *), finalmente um piloto volta a mostrar pegada nessa midseason. Falo de “The Chicago Code” (FOX), a nova série Shwan Ryan, o mesmo que nos presenteou com a ótima “The Shield”.

    A série aborda um fato que vem sendo cada vez mais divulgado na imprensa nos últimos anos: a corrupção endêmica que corrói o Estado de Illinois e sua capital, Chicago, justamente o berço político do Presidente Barack Obama. Dois ex-governadores do Estado foram recentemente presos. Um deles, Rod Blagojevith, sofreu impeachment antes de ir ver o sol nascer quadrado.

    Mas a corrupção não se dá apenas na esfera executiva do governo. As propinas são comuns, envolvendo fiscais e policiais e a população se habituou ao “jeito Chicago de ser”. Em resumo, se recortarem o Estado e o anexarem ao nosso querido Brasil, boa parte de seus governantes e da população se sentiria em casa. Boa parte, mas não todos.

    Em “The Chicago Code”, uma menina nascida e criada em Chicago vê seu pai ser achacado constantemente, até perder seu negócio e ver sua família ruir. Ela decide fazer de tudo para um dia combater a corrupção que tanto causou mal a ela e a seus entes queridos. Ela estuda, entra para a academia de polícia, se forma em primeiro lugar e depois de uma carreira meteórica, se torna a primeira mulher a chefiar todo o Departamento de Polícia da cidade. Jennifer Beals (“Flashdance”) faz a Superintendente de Polícia Teresa Colvin, uma mulher determinada a fazer a diferença em sua cidade natal.

    O tempero extra na cruzada de Teresa Colvin é que sua indicação ao cargo foi patrocinada por um poderoso político e empresário local, mais sujo que pau de galinheiro. Ele simplesmente não acreditou que sua “protegida” teria competência e coragem para ir contra seu mestre de marionetes. Ledo engano. Como ela mesma diz no piloto após assumir o cargo: “é hora de cortar os cordões”.

    O veterano Delroy Lindo (O Núcleo) faz o tal político à brasileira e rouba todas as cenas que participa. Jennifer Beals (“The L Word”) é experiente o suficiente para fazer seu trabalho com competência e Jason Clarke (Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme) convence tranquilamente como um policial durão e de difícil trato.

    A audiência da estreia foi de 9,4 milhões de telespectadores, sendo 2,45 na faixa etária 18-49, números sólidos e animadores, principalmente se comparados ao season finale de “Lie To Me” que passava no mesmo dia e horário até a semana passada. “The Chicago Code” obteve números 33% (13% na faixa 18-49) maiores que sua antecessora.

    Gostei muito do piloto e se você gosta de séries policiais, recomendo dê uma chance a “The Chicago Code”. Tenho certeza que não irá reclamar comigo depois.

    * Estou devendo as avaliações dessas duas bombas. Em breve pago.

    Ficha Técnica:

    Elenco:

    Jennifer Beals (O Diabo Veste Azul) – Teresa Corvin

    Jason Clarke (Inimigos Públicos) – Jarek Wysocki

    Matt Lauria (“Friday Night Lights”) – Caleb Eavers

    Devin Kelley (“Tease”) – Vonda Wysocki

    Billy Lush (“Generation Kill”) – Liam Hennessey

    Delroy Lindo (O Preço de Um Resgate) – Patrick Gibbons

    Produção:

    Shawn Ryan (“The Shield”) e Tim Minear (“Dollhouse”).

    Posts Relacionados:

    Tags:
  • scissors
    February 7th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Hoje estreia, nos Estados Unidos, o drama policial “The Chicago Code” na Fox. A mais nova criação do aclamado produtor Shawn Ryan (“The Shield”) trás Jennifer Beals (“The L Word”) como Teresa Colvin, a primeira mulher Superintendente da polícia de Chicago. Juntamente com seu veterano parceiro Jarek Wysocki, interpretado por Jason Clarke (Inimigos Públicos), ela navega pelo coração da cidade, lutando contra o crime e a corrupção latentes. Delroy Lindo (O Núcleo) faz o papel de Ronin Gibbons, um magnata transformado em político, que rapidamente prova ser um poderoso e formidável adversário da dupla de protagonistas.

    Em breve, publico minha opinião sobre o piloto.

    Assista ao spot comercial e leia os posts relacionados para saber mais sobre a série.

    Posts Relacionados:

    Tags:
  • scissors
    November 3rd, 2010Edu TeixeiraSéries

    Chicago Code

    Jarek Wysocki (Jason Clarke de Inimigos Públicos) é um lendário veterano policial que descarta parceiros como se descarta lenços de papel usados. Teresa Colvin (Jennifer Beals de “The L Word”) ascende rapidamente no departamento de polícia de Chicago determinada a implementar mudanças antes que a lama da cena política local suje a instituição. No caminho, ela faz poderosos inimigos, incluindo duas gangues de rua e o sindicato local de policiais.

    “Chicago Code” é mais um drama confirmado para a midseason e tem estréia programada para 7 de Fevereiro de 2011. A série é produzida por Shawn Ryan (“The Shield”) e Tim Minear (“Dollhouse”). Também no elenco estão Matt Lauria (“Friday Night Lights” ), Devin Kelley ( “Tease”), Billy Lush (“Generation Kill” ) e Delroy Lindo (O Preço de Um Resgate).

    Assista o promo da série abaixo.

    Posts Relacionados:

    Tags: ,