Comic-Con San Diego, Séries de TV e Cinema A cobertura da Comic-Con feita por um brasileiro para brasileiros e muito mais!
  • scissors
    September 24th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Nessa temporada decidi ver no mínimo dois episódios de cada nova série para ser mais justo. Para fazer uma avaliação melhor informada. Depois de assistir o segundo episódio da nova série de Sarah Michelle Gellar, posso dizer sem medo que não preciso ver mais nada antes de concluir que  “Ringer” (CW) é uma bomba. E pensar que ela deixou uma semi-aposentadoria para fazer essa atrocidade. Era melhor ter continuado a viver da fama de Buffy e ficar cuidando de sua filha.

    O piloto tem tantos erros que é até difícil enumerá-los. Nos primeiros 15 minutos, somos “presenteados” com nada menos que três mini vídeo clipes embalados por músicas românticas. Tem também a irritante insistência em repetir Siobhan  – o nome de uma das personagens de Gellar – bilhões de vezes ao longo dos dois episódios. Os roteiristas devem achar o nome tão cool que simplesmente não conseguem evitar repeti-lo infinitamente. Em frases em que um simples “você”, ou “minha irmã”caberiam muito melhor, lá vem o maldito nome.

    Você pode estar pensando que eu estou sendo muito implicante e que essas coisas são apenas detalhes insignificantes. Não é o caso. A trama é tão rasa e desinteressante que qualquer um começa a reparar nessas coisas. Quando me vi irritado em ouvir o nome Siobhan, me dei conta que eu só estava reparando nisso por não estar preso à história. Ela simplesmente não anda nos primeiros 90 minutos de série.

    Para você ter uma idéia do quão fraco é o roteiro da série, cito a última cena do piloto como exemplo. Depois de desaparecer no meio do um passeio de lancha, Siobhan reaparece em Paris, sentada em um sofá. Ela recebe um telefonema e ao atender ouve a seguinte frase: “Siobhan, temos um problema”.  O que qualquer pessoa normal faria? Perguntaria qual problema. Mas não aquela que eu me recuso a escrever o nome novamente até o fim desse texto (já foram 4 vezes). Ela simplesmente desliga o telefone sem dizer sequer uma palavra. Disseram no painel de “Ringer” na Comic-Con desse ano que cada episódio teria um cliffhanger. Pelo jeito, essa foi a tentativa de criar um no fim do piloto. Uma senhora e irritante forçada de barra.

    Pensando em retrospectiva, o que eu no primeiro momento achei ser uma boa credencial para a série, era justamente um aviso de que ela seria horrível. Pensei que a decisão de CBS de entregar esse projeto para sua rede irmã mais nova fosse apenas por uma questão de público-alvo, mas no fim das contas o problema era a qualidade. Tentaram minimizar o prejuízo, mas infelizmente isso não será possível.  Indo nesse ritmo, “Ringer” não durará muito tempo.

    Posts Relacionados:

    Tags: ,
  • scissors
    September 13th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Nestor Carbonell e Sarah Michelle Gellar

    E finalmente a Fall Season 2011 chegou oficialmente. Hoje estreia (nos EUA) “Ringer”, série que marca a volta de Sarah Michelle Gellar (“the Vampire Slayer”) à televisão. Tanto tempo ausente da telinha será compensado com juros para os fãs da eterna Buffy. Neste drama desenvolvido para a CBS, mas que caiu no colo do CW, ela fará os papeis das irmãs gêmeas Bridget e Siobhan.

    Quand Bridget – uma jovem problemática – decide assumir a identidade de sua irmã gêmea para fugir da máfia. O problema é que Siobhan, que aparentemente cometeu suicídio, também está sendo caçada, com prêmio em dinheiro por sua cabeça e tudo mais. Outros destaques do elenco são Jaime Murray (“Spartacus: Blood & Sand”), Nestor Carbonell (“Lost”), Kristoffer Polaha (“Life Unexpected”) e Ioan Gruffudd (Quarteto Fantástico).

    Em breve publico minha crítica sobre a série.

    Trailer exibido na Comic-Com 2011

    Teaser trailer

    Promo Rooftop

    Posts Relacionados:

    Tags: ,
  • scissors
    September 3rd, 2011Edu TeixeiraSéries

    O ano voa. Já estamos em Setembro e a fall season norte-americana bate em nossa porta. Juntamente com a volta de sucessos estabelecidos, novas séries estreiam na esperança de atrair público suficiente para garantir a renovação. De todo que estreia a parti desse mês, escolhi as 10 séries que eu mais estou ansioso para ver. É uma lista pessoal e que deve ser avaliada dessa forma. Você discorda dela? Comente fazendo a sua lista.

    10. The Playboy Club”

    Onde: NBC
    Quem: Amber Heard, Naturi Naughton, Eddie Cibrian, Laura Benanti, David Krumholtz, Jenna Dewan, Leah Renee e Sean Maher.
    Quando: 19 de Setembro
    Por que: Digamos que o novo drama da NBC tem uma semelhança com a rede de restaurantes Hooters. A gente até come o que está no cardápio, (no caso, um drama ambientado no primeiro Clube Playboy em Chicago), mas o que realmente interessa é o cenário. Se é que vocês me entendem. 🙂
    Pouca coisa foi divulgada sobre a trama, a não ser que é veremos os bastidores do clube e que ela será centrada na nova coelhinha Maureen (Amber Heard) e em Nick (Eddie Cibrian), seu cliente mais fiel. “The Playboy Club” promete ser a série mais sensual da TV aberta na nova temporada. Espero sinceramente que seja.

    9. “Up All Night”

    Onde: NBC
    Quem: Will Arnett, Christina Applegate, Maya Rudolph, Reid Ewing e Nick Cannon.
    Quando: 21 de Setembro
    Por que: Só o elenco já me faria ficar ansioso para ver essa série. A sinopse em sí não é nada demais, mas com Will Arnett (“Arrested Development”) e Christina Applegate (“Married With Children”) encabeçando o elenco, a coisa muda muito de figura.
    Embora sejam ótimos atores, ambos precisam de um sucesso urgentemente. Arnett vem dos fracassos “Sit Down Shut Up” e “Running Wilde”. Applegate não teve melhor sorte com “Jesse” e “Samantha Who”. Pessoalmente, vou torcer muito para eles tenham muito sucesso nessa comédia.

    8. “Ringer”

    Onde: CW
    Quem: Sarah Michelle Gellar, Nestor Carbonell, Ioan Gruffudd, Mike Colter e Tara Summers
    Quando: 13 de Setembro
    Por que: Eu não era fã de Buffy, mas sempre reconheci o poder de Sarah Michelle Gellar. Boa atriz, linda e com carisma para dar e vender. Depois de sete anos de uma relativa distância da cena hollywoodiana (Gellar se casou com o ator Freddie Prinze Jr. e teve uma filha com ele nesse meio tempo), ela volta com fome de bola. Não satisfeita em ser a protagonista de “Ringer”, ela fará dois papéis na série. Ela será as irmãs gêmeas Bridget e Siobhan. Uma mais enroscada que a outra e ambas correndo risco de vida.
    Em entrevistas recentes, Gellar prometeu uma série que irá deixar o público sentando na beira do sofá com um cliffhanger em cada intervalo comercial. Um mistério que não dá tempo de respirar seria interessante, mas espero que, no mínimo, “Ringer” evite o erro de confiar demais na “gostosura” de sua protagonista como foi o caso da fraca “Nikita”.

    7. “Person of Interest”

    Onde: CBS
    Quem: Jim Caviezel, Michael Emerson e Taraji P. Henson
    Quando: 22 de Setembro
    Por que: Em resumo? J.J. Abrams. Preciso dizer mais? Então tá. Jonathan Nolan, o roteirista de Batman – O Cavaleiro das Trevas e do revolucionário Amnésia (“Memento”).
    “Person of Interest” parece ser uma mistura de “Minority Report” com “Fringe”. Na trama, Michael Emerson (O Ben Linus de “Lost”) é um milionário que, depois de desenvolver um programa que identifica criminosos antes que o crime aconteça, se junta ao veterano gente da CIA (Jim Caviezel) para evitar que os crimes se concretizem. Um detalhe interessante é que o personagem de Caviezel está presumidamente morto. Sendo uma produção de Abams, é até surpreendente que saibamos tanto.

    6. “Hell On Wheels”

    Onde: AMC
    Quem: Anson Mount, Common, Dominique McElligott, Colm Meaney e Ben Esler
    Quando: 6 de Novembro
    Por que: O histórico de séries originais do AMC até agora é algo inacreditável. Os carros chefes são “Mad Men”, “Breaking Bad” e “The Walking Dead”, a última tendo conseguido a maior audiência da história de uma série na TV a cabo. Em menor escala, “The Killing” também pode ser considerada um sucesso. Até mesmo o fracasso “Rubicon” era uma série de muita qualidade, embora difícil (o que explica a baixa audiência e o cancelamento depois de apenas uma temporada).
    Então, naturalmente, qualquer nova série do AMC merece ser conferida. O drama é ambientado na reconstrução pós Guerra Civil americana e acompanha a missão pessoal de um soldado confederado (Anson Mout): Encontrar e matar um grupo de soldados da União que mataram sua esposa. Ao longo do caminho ele conhece o escravo recém-libertado (Common) e luta com índios Chayenne.
    Se lembrarmos de que o AMC é a casa de um show que mostra o comércio de crystal meth e assassinatos gosmentos e outro que desfila personagens com as entranhas à mostra, não tenho dúvidas que “Hell on Wheels” será bastante visceral. Que venha a carnificina.

    Em breve, você saberá quais são as 5 séries que estou mais louco para ver.

    Posts Relacionados:

    Tags: , , , ,
  • scissors
    August 5th, 2011Edu TeixeiraComic-Con, Séries

    Nestor Carbonell e Sarah Michelle Gellar

    Sarah Michelle Gellar sempre será lembrada por Buffy, mas isso não significa que a atriz queira que essa seja sua única série marcante. “Ringer” (CW) marca a volta de Gellar à televisão. O projeto da série foi encomendado pela CBS, mas em uma decisão inédita, o piloto acabou sendo aprovado pela CW, rede que faz parte do mesmo conglomerado que a atual líder de audiência norte-americana.

    Em “Ringer”, Gellar faz uma mulher em fuga. Para escapar de ser assassinada, ela assume a identidade de sua irmã gêmea, sem saber que essa também tem sua coleção particular de perseguidores perigosos. Nestor Carbonell (“Lost”) faz um agente do FBI que persegue as duas identidades de Gellar.

    O painel que encerrou a maratona USA, começou às 13:45 (horário do pacífico) no Ballroom 20 e teve a presença dos principais nomes do elenco, além dos produtores. Na mesa estavam Sarah Michelle Gellar (Bridget Cafferty/Siobhan Marx), Nestor Carbonell (Agente Especial Victor Machado), Ioan Gruffudd (Andrew Martin), Kristoffer Polaha (Henry), Pam Veasey (produtora), Nicole Snyder (produtora) e Eric Charmelo (produtor). A moderação ficou por conta de Kristen Baldwin (Entertainment Weekly)

    A seguir o resumo das minhas anotações. A internet continuava claudicante e a maioria dos meus tweets não foi ao ar.

    • O painel começa com um sneak peek da série e a produção parece ser de primeira linha. Algo não muito comum na CW.
    • Sarah M. Gellar parece ser má nos dois papéis.
    • A introdução de Gellar é de longe a mais interessante: “Uma mulher tão legal que foi escalada duas vezes, a santa padroeira das mulheres que chutam traseiros em qualquer lugar….Sarah Michelle Gellar”.
    • Gellar começa os trabalhos com um afago nos fãs de Buffy: “É muito difícil quando se tem um show como Buffy o qual você ama tanto….você não fica procurando uma série para superá-la. Você quer voltar (à tv) para uma série que seja amada pelos fãs do mesmo jeito. Seria algo diferente, mas ainda assim excitante”.
    • Paloha mostra seu lado fã: “Eu sou pago para beijar Sarah M. Gellar no trabalho. É um emprego incrível”.
    • A primeira audição de Kristoffer Polaha foi para Buffy, mas ele acabou preterido. Agora finalmente tem a chance de trabalhar com Gellar.
    • O ator galês Ioan Gruffudd (O Quarteto Fantástico) faz sua estreia em séries de TV e admite não conhecer nada do assunto: “Nunca tinha ouvido falar na CW até entrar para o elenco de Ringer”. Essa declaração me lembra o Naveen Andrews (Sayid) que disse nunca ter visto um episódio inteiro de Lost. Triste.
    • Charmelo diz que o plano inicial dos produtores é para 3 temporadas. Conservador, não?
    • Baldwin: “Como seu papel em ‘The Tick’ o preparou para essa série?”. Carbonell: “O protetor de testículos ajudou”. HEIN?

      Sarah Michelle Gellar e Kristoffer Polaha

    • Pelo que está sendo dito, quase todos na série tem alguma coisa a esconder. Isso é interessante.
    • Carbonell: “Todos somos de alguma forma moralmente ambíguos. Estamos apenas no segundo episódio, mas está sendo um ótimo começo”.
    • Gellar brinca quando perguntada sobre se seu marido (Freddie Prinze Jr. de “24”) na vida real participaria da série: “A terceira temporada terá um triângulo amoroso com meu marido de verdade. Mal posso esperar”.
    • Moderadora pergunta sobre a transição da CBS para a CW, Pam Veasey: “Foi fácil”. Gellar: “Precisamos apenas adicionar músicas e roupas mais modernas”. Falando mais sério: “Podemos correr mais riscos na CW. Todos nós conhecemos como é composta a audiência da CBS”. Essa eu não entendi. Que eu sabia a CBS é líder na faixa etária dos 18-49 anos, ou seja, no público alvo.
    • Gellar falando agora como produtora: “Toda vez que respondermos uma pergunta, teremos outras esperando pelo público”. Isso me parece muito com uma série que se passava em uma Ilha misteriosa. Não?
    • Continuando, Gellar disse: “Como produtora, não estou muito envolvida na parte de criação da história. Eu sei o destino final e uso isso como arma, mas eu não escrevo nada”.
    • E completou: “Eu adoro as reviravoltas desse show. Você nunca sabe onde ele está indo. Nunca pensei que fosse possível fazer uma série como essa”. Bem, exagerou, mas passa.
    • A moderadora pergunta sobre o relacionamento das irmãs. Charmelo: “Um incidente no passado causou um grande racha no relacionamento delas. Isso irá impactar o resto da série”.
    • Um dos clichés mais batidos seja no cinema ou na TV é repetido. Gellar se recusa a usar dublês nas muitas cenas de ação e luta que participa na série. Mas é lógico, afinal ela é a BUFFY… 🙂
    • Gellar: “Às vezes contraceno com um dublê, às vezes estou ouvindo no meu ponto eletrônico e às vezes eu estou apenas inventando. Lá pela 3ª temporada eles vão me clonar”. Eu hein, que coisa mais sem sentido….
    • Baldwin: “Como vocês lidam com o segrede que ronda a produção de uma série de suspense?”. Charmelo: “Os caras da promoção sabem que nós temos que manter segredos. Não liberamos nada. É tudo guardado para o episódio e acreditamos que os espectadores voltarão”. Essa série será altamente serializada como é hábito da emissora. Algo que eu pessoalmente prefiro.
    • Charmelo: “(A série) É um conto de duas irmãs onde uma é movida pelo desejo de redenção e a outra pelo de vingança. Todos os personagens são de natureza dúbia. Não há heróis nem vilões. É tudo cinza, sem preto ou branco”.
    • Começam as perguntas do publico. Imagino que rapidamente isso se tornará um painel de fãs da Buffy.
    • Fã: “Foi difícil voltar a fazer TV?”. Gellar: “É difícil se adaptar. Eu preciso me lembrar sempre que eu não posso chutar o rosto do cara”.

      Pam Veasey e Ioan Gruffudd

    • Fã: “Como foi se preparar para os papéis?”. Gellar: “Eu sou filha única, então tive que pesquisar a respeito do relacionamento de irmãos, especialmente nos de gêmeos idênticos. Eles perdem muito da identidade individual para o outro. Tem sido uma grande aventura ter uma irmã tão próxima, mas que não fala comigo”.
    • Fã pergunta sobre o passado dos personagens. Carbonell: “Nós não veremos muito da vida pessoal do meu personagem, pelo menos nos primeiros episódios. Eu peço para os roteiristas não me contarem nada, de forma que não perca a espontaneidade”.
    • Sobre o processo de desenvolvimento da série, Nicole Snyder disse: “Não achávamos que esse roteiro fosse ser escolhido, e então Sarah Gellar gostou dele. Estamos tentando manter o alto nível dos dramas na TV atualmente, como Breaking Bad, Damages e outros, de um modo neo-noir”. Bem, ela acaba de comparar “Ringer” com dois dos melhores dramas dos últimos tempos. Boa sorte na tarefa de chegar nesse nível.
    • Fã pergunta se nessa série Gellar usará alguma arma de fogo. Gellar: “Eu uso um revólver. Eu fiquei muito excitada com isso. Buffy NUNCA deu um tiro sequer. Naquela época eu usava uma serra circular. Não gostava nada daquilo”.
    • Fã pergunta se a série terá algum elemento sobrenatural. Não peguei quem respondeu, mas a reposta foi bem direta: “Não haverá vampiros, nem demônios, nem alçapão (o hatch de Lost). Essa é uma série completamente baseada na realidade”.
    • Haverá um grande número de cenas de flashback. Assim Gellar terá muitas oportunidades de explorar ambos os papéis.
    • Gellar: “Os flashbacks serão desde a adolescência (com outra atriz) até o presente”.
    • Sobre sua escolha de roupas para vir à Comic-Com Gellar disse: “Se eu viesse vestida de Buffy, vocês me diriam que eu estava uma fraca caricatura dela. Eu tentei me vestir como uma dona de casa de verdade de Bevery Hills”.
    • Sobre a mudança de rede. Gellar: “O pessoal da CBS estava preocupado se a gente se encaixaria no perfil. Então eles nos mandaram para a CW, e lá o encaixe é perfeito. Funciona realmente bem”.
    • Sobre as filmagens do piloto. Carbonell: “Filmamos em Março em Nova York. Eu nasci lá e foi como voltar para casa”. Gellar: “Estava frio em Nova York”.
    • Carbonell: “É realmente incrível estar em outra série que eu não sei o que está acontecendo de uma semana para a outra”. Outra “Lost” referência.
    • Sobre convidados. Gellar disse: “Michelle Trachtenberg tem tentado muito um papel. Ela tem rondado muito”. Jaime Murray (“Dexter” e “Spartacus: Blood & Sand”) está confirmada como convidada na 1ª temporada.
    • Até por ter nascido na CBS, tenho grades esperanças que “Ringer” seja uma ótima série. Agora é esperar pela estreia em 13/09. Fim de papo.
    • A seguir, o painel de “Game of Thrones”.

    Posts Relacionados:

    Tags: ,