Comic-Con San Diego, Séries de TV e Cinema A cobertura da Comic-Con feita por um brasileiro para brasileiros e muito mais!
  • scissors
    May 14th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Essa bomba sobreviveu

    Parecia uma briga de foice em um quarto escuro. Ontem as grandes redes americanas de TV aberta abriram a caixa de ferramentas e o resultado foi um verdadeiro banho de sangue no horário nobre. Mas a sexta-feira 13 não foi só de más notícias. Algumas séries foram renovadas, inclusive – a aparentemente imortal – “Chuck”. Além disso, NBC, CBS, ABC, FOX e, até a CW, começaram a anunciar os projetos escolhidos para virarem séries na próxima temporada.

    Abaixo, farei um balanço dos acontecimentos, dando minhas opiniões sobre as decisões.

    Como bem disse minha amiga Marina Musa do Cine Séries, “a ABC ligou o fo%$-se” e cancelou “Better With You”, “Brothers & Sisters”, “Detroit 1-8-7”, “Mr. Sunshine”, “No Ordinary Family”, “Off The Map” e “V”, renovando “Body of Proof”, “Desperate Housewives” e “Happy Endings”.

    A grande maioria faz sentido, principalmente por conta do esgotamento de “Brothers & Sisters”, da falta de pegada de “V” e de qualidade das demais, mas duas decisões da ABC me deixaram triste. A renovação da péssima “Body of Proof” e o cancelamento da melhor sitcom lançada nessa temporada, “Better With You”. Não discordo delas, pois acredito que, na maioria das vezes, as redes tomam essas decisões de negócio embasadas pelas estatísticas de audiência e cálculos de custo/benefício. Está dando lucro, fica, não está, roda. É duro, mas é isso.

    A CBS foi a única das grandes redes que não anunciou nada além da aprovação de alguns projetos. Falo deles mais tarde.

    A FOX começou a carnificina no meio da semana. Cancelou “Breaking In”, “The Chicago Code”, “Human Target”, “Lie to Me” e “Traffic Lights”. Dessas, apenas “The Chicago Code” merece considerações. Particularmente gostava muito dela.  Além de um ótimo elenco, Shawn Ryan escreve bem demais. Fica a sensação que se fosse exibida na CBS, por exemplo, seu destino poderia ser bem diferente. No cômputo geral, A FOX merece crédito por ter renovado “Fringe”. Essa sim, uma decisão muito mais baseada em qualidade do que em lucro.

    Zachary Levy e o colírio Yvonne Strahovski

    A NBC, a lanterninha em termos de audiência, precisa de mudanças e elas virão. Animada pela boa estreia do reality show (eu odeio) “The Voice” no fim da temporada, a outrora líder quer virar o jogo. Passou a régua em “The Event”, “Law & Order: Los Angeles”, “Outsourced” e “Perfect Couples”, e renovou “Parenthood”, “Harry’s Law”, e surpreendentemente, “Chuck”.

    Não me entenda mal. Eu adoro o espião atrapalhado que conquistou a loira dos sonhos (dele e de qualquer homem heterossexual do planeta). O problema é que a audiência da série vem mal das pernas no fim da temporada, batendo recordes negativos na faixa etária dos 18 aos 49 anos. O voto de confiança da emissora ao encomendar 13 episódios para a próxima temporada pode ser encardo de duas formas. Ou eles querem dar uma chance para a série de ganhar tração, conseguindo depois os outros 9 para completar a temporada, ou essa será a leva final e os produtores e roteiristas precisam pensar em um plano de despedida. Pessoalmente, torcerei para “Chuck” enganar a morte mais uma vez.

    Eu gostava de “Outsourced”. Ela nos deus um dos melhores personagens da temporada, o Gerente Assistente Rajiv (Rizwan Manji), mas entendo que não tenha caído no gosto da maioria. “Harry’s Law” começou bem, mas perdeu gás e sua renovação me surpreendeu um pouco. Já “The Event” não entendeu a lição ensinada por “Flash Forward” na temporada passada: depois de “Lost”, séries de sci-fi disfarçadas de drama precisam ter algo mais, dar algo melhor ao público. Se ficar enrolando muito, a galera troca de canal. Os produtores ainda procuram uma alternativa para manter a série viva. O NetFlix, gigante de aluguel online e por streaming de filmes, anunciou que pretente passar a fornecer conteúdo original e pode ser o destino de “The Event“. Só não prendam a respiração esperando por isso.

    Detalhes sobre os projetos que foram aprovados e descartados em um próximo texto, ainda nesse fim de semana.

    Posts Relacionados:

    Tags: , , , , , , , , ,
  • scissors
    April 6th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Com um pouco de atraso, já que a série estreou em 29 de Março, assisti ontem o piloto de “Body of Proof”, a nova série da ABC que marca a volta de Dana Delany à televisão, dessa vez como protagonista. Seu último trabalho de destaque foi em “Desperate Housewives”, da qual participou em 64 episódios.

    Quem tem por hábito ler meus textos no blog, já deve ter notado que eu não sou o típico crítico que não gosta da grande maioria do material que avalia. Sou, antes de tudo, um fã de seriados americanos e se a grande maioria deles fosse ruim, não faria muito sentido dedicar meu precioso e escasso tempo lendo, pesquisando e escrevendo sobre o tema. Dito isso, com essa nova série não dá para ser bonzinho. “Body of Proof” é dura de engolir. Um desperdício de tempo e dinheiro. São tantos defeitos que fica até difícil saber por onde começo.

    Dana Delany é uma boa e experiente atriz. Não que seja capaz de colecionar prêmios, mas é competente e carismática o suficiente para sustentar uma série decente. Seu maior problema em “Body of Proof” é ter que trabalhar com um texto pobre e cheio de clichês. Nem a Meryl Streep faria muito melhor com o mesmo material.

    As séries focadas em médicos peritos deixaram de ser novidade desde que CSI inovou e se deu muito bem. Com ela e suas crias, aprendemos muito sobre como trabalham – ou deveriam trabalhar em um mundo ideal – os técnicos e médicos da perícia criminal. A Dra. Megan Hunt (Delany), uma brilhante ex-neurocirurgiã transformada em médica legista,  ultrapassa qualquer limite que bom senso impõe de como devem trabalhar esses profissionais. Até ir à casa de um suspeito ela vai, inclusive interrogando o individuo para desespero do policial que deveria fazê-lo. Não seria mais fácil o portador do distintivo e da arma não levá-la do que ficar reclamando depois?

    Enfim, são tantos furos e situações inverossímeis que nem vale a pena eu me estender. Se você resolver assistir “Body of Proof”, faça por sua conta e risco. Depois não diga que eu não avisei. Se não resistir, comente depois. Dê sua opinião também.

    Posts Relacionados:

    Tags:
  • scissors
    March 29th, 2011Edu TeixeiraSéries

    Hoje estreia “Body of Proof”, a nova série da ABC estrelada por Dana Delany (“Desperate Housewives”).

    Na série criada por Christopher Murphey (“The karate Kid”), a Dra. Megan Hunt (Delany) se torna médica legista após um terrível acidente na sala de cirurgias colocar fim à sua brilhante carreira de neurocirurgiã. Ela passa a usar seu conhecimento e instinto para ajudar a solucionar mistérios e crimes, descobrindo quem e o que matou cada vítima, muitas vezes ultrapassando o limite onde seu trabalho acaba e o da polícia começa. Enquanto ela tenta reconstruir a carreira, percebe que também precisa reparar o relacionamento que tem com sua própria família, a qual ela negligenciou por muito tempo.

    O elenco ainda tem Jeri Ryan (Jornada nas Estrelas: Voyager), Geoffrey Arend (“Trust Me”), John Carroll Lynch (“The Drew Carey Show), Wendell Middlebrooks (“The Suíte Life on Deck”), Nicholas Bishop (“Past Life”) e Sonja Sohn (“The Wire”).

    Farei um post com minha opinião sobre o piloto assim que assisti-lo. Enquanto isso, veja o trailer e um sneak peek abaixo.

    Posts Relacionados:

    Tags: