Comic-Con San Diego, Séries de TV e Cinema A cobertura da Comic-Con feita por um brasileiro para brasileiros e muito mais!
  • scissors
    March 3rd, 2011Edu TeixeiraDiversos

    O ano vai ser atribulado. Igual ao ano passado. Em julho,  viajo para cobrir in loco a Comic-Con 2011. Para isso preciso tirar férias no meu trabalho convencional, logo, a viagem para San Diego será tudo, menos férias. A cobertura do evento sem ajuda (mas com apoio do Cine Séries e do Lérias & Lixos) é uma tarefa dura.

    Hoje começam minhas únicas férias reais do ano. Serão 10 dias sem posts ou qualquer atualização no blog. No dia 13/3 , eu prometo publicar um longo post com um balanço geral da temporada 2010/2011 na televisão americana.

    Um ótimo carnaval para vocês, tenham juízo, bebam responsavelmente e usem camisinha. SEMPRE!

    Forte abraço e até a volta!

    Posts Relacionados:

    Tags:
  • scissors
    January 3rd, 2011Edu TeixeiraDiversos

    O ator inglês Pete Postlethwaite faleceu hoje, aos 64 anos de idade. Peter William Postlethwaite, que nasceu em Warrington em 16 de Fevereiro de 1946, trabalhou em dezenas de filmes, alguns muito marcantes como “The Duellists” (de Ridley Scott), “Alien 3” ( de David Fincher), “Hamlet” (de Franco Zeffirelli), Em Nome do Pai (de Jim Sheridan), “Amistad” (de Steven Spielberg), e mais recentemente em A Origem (de Chistopher Nolan).

    Postlethwaite, que uma vez foi descrito por Steven Spielberg como “provavelmente o melhor ator do mundo hoje”, morreu em um hospital em Shropshire, Inglaterra, depois de uma longa batalha contra um câncer. Ele era casado com Jacqui e tinha dois filhos, Will e Lily.

    RIP

    Posts Relacionados:

    • Não há posts relacionados
    Tags:
  • scissors
    November 14th, 2010Edu TeixeiraDiversos

    Em evento organizado pela HRTS (“Hollywood Radio & Television Society”) no dia 26 de Outubro, executivos das redes de TV aberta americanas – Paul Lee (ABC), Nina Tassler (CBS), Dawn Ostroff (CW), Kevin Reilly (Fox) e Angela Bromstad (NBC) – se reuniram no Beverly Hilton Hotel em Los Angeles, para debater sobre o estado atual da televisão aberta nos EUA e as tendências para o futuro.

    Dentre vários temas abordados, um dos mais interessantes foi o das estratégias sendo desenvolvidas pelas grandes redes para continuar atraindo anunciantes, mesmo em um mundo cada vez mais digital, ou seja, com número crescente de aparelhos de gravação digital (DVR), downloads, e streaming.

    Um consenso entre os executivos foi que a medição da audiência ao vivo já há algum tempo não representa a realidade absoluta. É necessário esperar que outras formas de audiência sejam levadas em conta.

    Assista ao video de quase uma hora do encontro. Se você não quiser assistir ao bla bla blá inicial, pule os 10 primeiros minutos e vá direto ao painel dos executivos.

    Posts Relacionados:

    • Não há posts relacionados
  • scissors
    November 1st, 2010Edu TeixeiraDiversos

    Medição eletrônica

    Em 1954, o instituto de pesquisas Nielsen desenvolveu o conceito de “sweeps” (semana varreduras), quando enviou pequenos folhetos para famílias em todo o país e pediu-lhes para anotar tudo o que foi assistido na TV durante uma semana. Para receber e tabular esses registros, eles “varreram” o país de leste a oeste ao longo de quatro semenas. Hoje, computadores executam essa tarefa facilmente, e a Nielsen usa essas mesmas quatro semanas para pesquisar os hábitos televisivos dos norte-americanos.

    Nesse período, as grandes redes investem em conteúdo mais elaborado e caprichado na esperança maior audiência, dando um sempre bem-vindo gás aos seus programas. Eles “testem o sistema” de várias formas, sempre na procura de formas de fazer mais gente sintonizar seus canais.

    Os resultados dessa medição são usados para ajustar as tabelas de preço de publicidade local, que é a grande fatia das receitas das emissoras.

    Posts Relacionados:

    • Não há posts relacionados
    Tags:
  • scissors
    October 11th, 2010Edu TeixeiraDiversos

    Finalizando a série sobre BitTorrent (parte 1 e parte 2), é hora de tratarmos de uma das coisas mais legais oferecidas por alguns clientes BT, o download programável usando RSS (Really Simple Syndication). Siga os passos abaixo para automatizar os downloads de suas séries favoritas usando o uTorrent:

    1. Clique no ícone RSS na barra de ferramentas

      Ou selecione usando o menu como na figura abaixo.

    2. Use os dados abaixo para preencher as opções da caixa de diálogo e depois clique em OK.
    3. Com a opção Descrição Personalizada (Custom Alias) você pode dar o nome que quiser ao “feed”. Esse será o nome usado na lista lateral de “feeds”.
    4. Não mude a opção de Assinatura (Subscription) a não ser que você queira baixar tudo que for publicado. Não acho que esse seja o seu caso.
    5. Agora seus “feeds” aparecerão na barra lateral como na figura abaixo. Com o botão direito do mouse, você pode edita-los se quiser. As cores indicarão o status deles: ativo e funcional (laranja), parado (vermelho), etc. Para ver a lista de conteúdo disponível, basta clicar no ícone do “feed” com o botão esquerdo do mouse.
    6. Para aumentar as chances das suas séries aparecerem, em caso de um “feed” estar fora do ar, adicione mais de um “feed”. Use o mesmo método ensinado até agora para incluir mais “feeds”. Dois exemplos são:EZRSS – EZTV : http://ezrss.it/feed/BT-CHAT – EZTV: http://www.bt-chat.com/rss.php?mode=cg&group=3&cat=9Vários sites BT oferecem “feed” RSS. Escolha os que mais se encaixarem com o seu perfil.
    7. Clique Ctrl+R ou escolha no menu: Opções (Options) / Descarregador RSS (RSS Downloader). Aqui criamos os filtros que agirão em conjunto com os “feeds”para automatizar seus downloads. Crie um filtro para cada série que você assiste regularmente.
    8. Abaixo está a caixa de diálogo que você usará para fazer isso.
    9. Clique no botão Adicionar (Add), e no painel esquerdo renomeie o filtro usando o nome da série. Por exemplo: Lost.
    10. Em Filtro, coloque o nome da série usando sempre “?” entre palavras e “*” no fim. Por exemplo: lost* , Desperate?Housewives*, The?Big?Bang?Theory*, etc. O programa nao diferencia maiúsculas e minúsculas. O uTorrent tem um ótimo algoritimo de reconhecimento das características dos arquivos (nome, tipo de arquivo, número do episódio, etc.)
    11. Infelizmente o uTorrent ainda não tem a opção de um filtro de exclusão que deixe de fora dos downloads arquivos com formato que não queremos. Por isso, temos que incluir exclusões para cada série. Use o campo NÃO (NOT) para isso. O exemplo ao lado é o filtro que uso para baixar os arquivos AVI de 350 mb: *AC3*|*HR*|*264*|*720*
    12. Em Salvar (Save in), escolha a pasta na qual os arquivos serão salvos.
    13. Em Feed, aconselho usar todos.
    14. Em Qualidade (Quality), eu uso somente HDTV, mas você pode escolher outros tipos se quiser, ou até mesmo todos.
    15. Em Número do episódio (Episode Number) você pode programar o download automático de todos os episódios de uma temporada. É assim que eu faço: 1×01-25, 2×01-25, 3×01-25, e assim por diante, dependendo da temporada que a série está.
    16. Embora a figura acima mostre outras opções marcadas, eu sugiro marcar apenas “filtro ep. inteligente” (smart ep. filter).
    17. Bem, agora que o primeiro filtro está pronto, você pode usá-lo para fazer os filtros das demais séries.
    18. Selecione o filtro que você acabou de fazer e clique em Adicionar (Add) no menu esquerdo. Note que um novo filtro foi criado contendo as mesmas opções do original. Modifique ele conforme sua necessidade e repita o processo para todas as séries que você assiste.
    19. Pronto.

    Bem, é isso. Chega de tecnicidades. Nos próximos posts eu volto ao assunto de hábito: séries e mais séries.

    Posts Relacionados:

    Tags:
  • scissors
    October 7th, 2010Edu TeixeiraDiversos

    Dando continuidade ao post anterior, vou tentar ajudar a quem ainda não conhece o BT e quer conhecer. A seguir vou responder algumas perguntas bastante comuns a respeito do assunto.

    O que é BitTorrent?

    BitTorrent é um protocolo de distribuição descentralizada de arquivos. Em essência, isso quer dizer que ao mesmo tempo em que você está baixando um arquivo, você também está subindo o mesmo para outras pessoas. Para usá-lo, é necessário ter um cliente BT. O cliente oficial criado por Bram Coehn (o mesmo inventor do protocolo) é chamado,…..suspense….,BitTottent.

    De onde eu baixo esse cliente?

    Você pode baixá-lo clicando aqui, ou você pode baixar o cliente que eu uso e recomendo, o uTorrent, clicando aqui.

    Como eu instalo o cliente?

    Não poderia ser mais fácil. Depois de baixar o arquivo de instalação, basta executá-lo, aceitando todos os parâmetros padrões.

    Já instalei, e agora?

    Bem, agora é começar a baixar. E você pode baixar de tudo: seriados, filmes, músicas, imagens, quadrinhos, livros, e até programas. Eu realmente não recomendo baixar programas. Eles são a única forma de se transmitir vírus via BT e se você não sabe exatamente o que está fazendo, recomendo deixar os programas de lado.

    Como as séries de TV são o foco principal do blog, deixo dois sites BT que você tem que ter nos seus favoritos:

    O www.eztv.it é especializado em séries. Os links aparecem na mesma noite que a série passa e o arquivo de episódios antigos é enorme.

    O www.isotorrent.com é um mecanismo de busca de torrents. Ele varre vários sites BT e te deixa iniciar o download diretamente do resultado da pesquisa.

    Quer mais? Tente o Google. 😉

    Por quê alguns downloads de arquivos grandes demoram a começar?

    O cliente BT irá sempre se certificar existe espaço em disco para acomodar o arquivo que está sendo baixado. Por isso, ele perde um tempinho reservando esse espaço, antes de efetivamente iniciar o download.

    O arquivo já aparece no meu computador, mas o download continua. Por quê?

    Veja a pergunta anterior. O arquivo só está realmente completo se o cliente o mostrar a transferência atingido 100%

    Posso interromper um download e depois continuar de onde parei?

    Sim. Inicie o download como na primeira vez e escolha a pasta onde está o arquivo ainda incompleto. O cliente então irá verificar se o arquivo parcial não apresenta nenhum problema e continuará o download exatamente do ponto que parou.

    Como posso ter certeza que o arquivo baixado não está corrompido?

    Seu cliente ao mesmo tempo em que baixa o arquivo, verifica suas partes usando um protocolo criptográfico de segurança (SHA1). Por isso, quando o download acaba, temos certeza que o arquivo está perfeito, igualzinho ao original.

    Por que devo deixar o cliente aberto depois de completar meu download?

    Como falei, o BitTorrent funciona como um mutirão. Por isso, todos precisam ajudar. É considerado uma boa prática deixar seu cliente rodando mesmo depois de terminar todos os downloads. Se todos fecharem os clientes, não haverá mais seeds, ou seja, pessoas que possuem o arquivo completo para outros baixarem. Não seja somente um leecher, ou seja, um sanguessuga. Existem sites BT que controlam a taxa relativa entre downloads e uploads e você acaba banido caso não tenha um coeficiente próximo de 1 (baixa tanto quanto sobe).

    Como faço para regular a velocidade dos “uploads”?

    Os clientes mencionados anteriormente permitem ajuste da velocidade de upload. No entanto, fazer esse ajuste faz pouco sentido, pois os clientes determinam a velocidade de download pela velocidade que você envia. Se você não enviar nada, sua velocidade será baixíssima.

    O BitTorrent é seguro?

    Totalmente. Ele somente sobe o que você está baixando. Ele não tem acesso às suas pastas e arquivos privados e, portanto, não os compartilha com ninguém.

    O BitTorrent funciona através de firewalls ou Roteadores (NAT)?

    Sim, mas ele não funciona à plena capacidade. Quanto mais pessoas puderem se conectar a você, melhor. O BT não tem uma porta de comunicação padrão. Você mesmo pode escolhê-la. É aconselhável usar portas acima da porta 50000. As portas mais usadas no início (6881-6890) hoje fazem parte de listas negras de todos os clientes e redes, portanto não as use.

    Os clientes geralmente fazem as modificações necessárias no firewall do Windows e nos roteadores com UpNP (Universal Plug and Play), mas caso você precise fazer a configuração manualmente no seu roteador, procure a opção port forwarding (encaminhamento de porta) e crie uma regra encaminhando a porta BT escolhida para o IP de sua máquina. Muito complicado? Bem, o Google está aí para isso mesmo. 😉

    O que é traffic shaping e como faço para evitá-lo?

    Muitas operadoras de banda larga (para não dizer todas) do Brasil e do exterior aplicam o chamado Traffic shaping, uma técnica que consiste em monitorar o tráfego da rede, priorizando a transferência de dados para navegação e não para serviços de VOIP, P2P (Emule, Torrent, etc) e FTP.

    Então vamos tentar “camuflar” o programa uTorrent para que não seja detectado pela operadora e seu limite de velocidade:

    1) Abra o uTorrent

    2) Clique em opções e depois em preferências

    3) Em controle de banda, modifique os seguintes parâmetros:

    Número máximo de conexões: 900

    Número máximo de peers conectados por torrent: 500

    Número de slots para upload por torrent: 25

    4) Em BitTorrent, deixe marcado todas as opções, MENOS “permitir conexões não criptografadas”. Em “Encriptação do Protocolo” deixe marcado como FORÇADO. Isso fará com que os pacotes de dados sejam criptografados, burlando o “traffic shapping”.

    5) Em avançado, procure por “net.max_halfopen” e altere o valor para 60

    Pronto. Quando a Net começou a me atrapalhar, foi assim que resolvi.

    É possível programar o uTorrent para baixar séries automáticamente?

    Sim. E é lindo! Depois de programado, basta deixar o programa rodando e assim que o novo episódio da sua série favorita pintar na rede, ele começa a fazer o download para você. Como programar? Bem, isso fica para o próximo post. Até lá.

    Posts Relacionados:

    Tags:
  • scissors
    October 6th, 2010Edu TeixeiraDiversos

    Baixo séries desde 2001, o que me faz um vovô nesse quesito. Usei vários métodos, alguns deles já mortos: WinMX, KaZaa, eMule, DC++, e muitos outros. Mesmo com alguns desses programas representando sérios riscos à segurança do meu computador, eu ia me virando e vendo meus seriados. Tudo mudou quando um amigo me apresentou o BitTorrent e o site Suprnova (assim mesmo, sem o “E”). O download era rápido e  o risco de vírus infinitamente menor.

    Bram Cohen, o criador do BT

    Com o tempo, os Torrents foram se popularizando e obviamente a indústria tomou conhecimento, não demorando a apontar suas armas contra a novidade. O Suprnova foi processado e morto. Outros tantos sites sofreram a mesma perseguição, incluindo  seu sucessor, o Mininova, que ainda está no ar, mas que agora só oferece links para conteúdo não protegido por direitos autorais.

    A grande sacada  do BT (para os íntimos) é que os sites não hospedam os arquivos em si, e sim apenas links facilitadores. A idéia é criar um grande mutirão de troca de arquivos. Hoje, o número de sites de BT é incalculável e é virtualmente impossível exterminar todos eles. O The Pirate Bay, talvez o mais famoso dos ativos, resiste bravamente aos processos judiciais e permanece no ar.

    Recentemente descobri, sem querer, que muita gente que baixa séries não usa o BT no Brasil. Um colega de faculdade chegou a me dizer que era lento…e isso não me saiu da cabeça. Lento? De forma alguma. O BT tem potencial para esgotar a capacidade de banda que temos contratada. Fui um pouco mais fundo na questão e descobri outro problema. Em se tratando de séries, o padrão adotado em sites bt é de arquivos AVI (com compressão Divx). Em tempos de vacas raquíticas, muita gente tem conexão de internet “banda-não-muito-larga” e opta por baixar arquivos RMVB que têm maior compressão e menor qualidade. Baixei um desses arquivos para testar e a pouca qualidade de imagem e som me incomodou demais. E olha que eu nem baixo os arquivos AVI de alta definição (700mb), optando sempre pelos arquivos “normais” de 350 mb para séries de 45 minutos. Se você, assim como eu, tem banda realmente larga, assiste os arquivos baixados em sua TV e quer ver seu seriado com imagem e som de boa qualidade, recomendo que você migre para o BT e seus arquivos AVI.

    Amanhã, na segunda e última parte, eu vou tentar montar um tutorial de uso do protocolo, incluindo algumas dicas úteis.

    Posts Relacionados:

    Tags:
  • scissors
    August 31st, 2010Edu TeixeiraDiversos

    Galera, o papo agora é sério. Vou dar um tempo nos temas usuais do blog para falar de mais uma tentativa do Estado de reduzir nossa liberdade, e por consequência,  nossos direitos civis fundamentais.

    O “nobre” senador Eduardo Azeredo, do PSDB-MG, tem tentado a todo custo aprovar o PL 84/99 na câmera dos deputados (PLS 89/03 no senado). Esse projeto de lei tem a ambição de “controlar a internet” no Brasil. É óbvio para qualquer pessoa minimamente informada em tecnologia, que tal controle é virtualmente impossível, porém ao tentar, o “excelentíssimo” senador tropeça nas próprias pernas e acaba atingindo quem não tem nada a ver com os problemas que ele quer combater.

    Abaixo, reproduzo parte do texto do blog MEGA NÃO que explica o cerne do problema:

    “OS ARTIGOS DO PROJETO SUBSTITUTIVO DO SENADOR AZEREDO (PL 84/99, na Câmara, PLS 89/03, no Senado) 285-A, 285-B, 163-A, 171 e 22 implantam uma situação de vigilantismo, não impedem a ação dos crackers, mas abrem espaço para violar direitos civis básicos, reduzir as possibilidades da inclusão digital e transferir para toda a sociedade os custos de segurança que cabem aos que lucram com a eficácia proporcionada pela rede”.

    Devemos encarar a internet como uma “cidade virtual”. Não impedimos a livre circulação nas ruas para coibir crimes. Simplesmente vigiamos nossa cidade, prendendo quem não cumpre a lei. É isso que deve ser feito na internet. Ao invés de encher o saco do Google pedindo que feche comunidades ligadas à atividades ilegais, que tal montar uma estrutura de inteligência na polícia que se infiltre nessas comunidades, colha provas e prenda quem de direito?

    Se informe. Proteste via blogs, Twitter, ou por qualquer outro meio que você conseguir. Essa proposta de lei não pode ser aprovada na forma que o “ilustre” senador mineiro quer.

    Posts Relacionados:

    • Não há posts relacionados
  • scissors
    August 30th, 2010Edu TeixeiraDiversos

    A estatuetaSe você leu o post de ontem e me segue no Twitter já deve saber que meu aproveitamento foi pífio. Das dez categorias que escolhi como mais importantes e declarei minha preferência, só acertei três. Pífios 30%. Valeu pela brincadeira e pela vitória de Jim Parsons de The Big Bang Theory. Minha maior aposta na noite.

    A cerimônia foi divertida como de hábito, muito por conta da apresentação inspirada de Jimmy Fallon. As duas horas iniciais passaram com leveza e agilidade. A hora final no entanto, foi um pouco arrastada. Boa parte do problema se deve a ordem escolhida para a premiação. Pareceu-me equivocada a escolha de concentrar a maioria dos prêmios para séries no início, deixando somente as duas principais categorias – melhores séries de drama e comédia – para o finalzinho. O trecho dedicado a premiar telefilmes e mini-séries ficou longo e pouco aderente às piadas do apresentador. Somando o fato de que até para os americanos, esses concorrentes não são tão populares por serem de canais à cabo, e você verá que uma mudança na ordem, intercalando as premiações de séries, minisséries e telefilmes seria bem-vinda.

    Falando dos vencedores, mais uma vez a premiação mostrou que os eleitores são completamente divorciados da realidade. A história do prêmio mostra atrocidades, e isso não é necessariamente uma crítica aos vencedores em si, mas ao fato de terem superado séries claramente superiores. Quanto mais tempo passa, mais fica evidente que o “penta-campeonato” de Frasier entre 1994 e 1998 foi um descalabro. Sienfeld, uma série em tudo muito superior, ganhou só uma vez em 1993, mesmo tendo ido ao ar de 89 a 98. Nem preciso falar de Friends, outra sitcom que marcou a TV muito mais significativamente que Frasier, e que só levou o “caneco” em 2002.

    Com esse fundo histórico, a terceira vitória seguida (em três aparições) de Mad Men não foi sequer surpresa. Mesmo tendo concorrentes superiores – Lost, Dexter, The Good Wife, Breaking Bad, etc. – essa série parece gozar de um prestígio inabalável junto aos eleitores da Academia de Televisão, Artes e Cinema. E isso me incomoda. Ao contrário do Oscar, que pode ter uma aberração aqui, outra ali, a impossibilidade de um mesmo filme concorrer em mais de uma edição do prêmio, ajuda a evitar que erros se repitam. Já no EMMY, prêmio que eu gosto muito mais de assistir e que me interessa muito mais, o mesmo erro pode ser repetido infinitas vezes, desde que a série esteja ainda em produção. E parece que eles gostam mesmo de insistir em equívocos.

    Esse desabafo, devo confessar, é por causa de Lost. Já disse aqui outras vezes que sou muito fã da série e que a considero uma das 5 melhores de todos os tempos. Exagero ou não, é inegável que Lost deixou sua marca na história da televisão e que daqui há 20, 30 anos, ainda será lembrada. Já Mad Men….

    Algumas ótimas séries ganharam o Emmy merecidamente, mas cairam no esquecimento. Você se lembra de Picket Fences? Ganhou como melhor drama em 93 e 94. Embora ótima série, era mais uma. Mais do mesmo. Sienfeld não era, e Lost – que ganhou em 2005 – também não e ambas mereciam ter vencido mais de uma vez o EMMY de melhor série. Séries diferentes, marcantes e únicas precisam ser muito premiadas.

    Você concorda? Discorda? Comente.

    Posts Relacionados:

    Tags: , ,
  • scissors
    August 29th, 2010Edu TeixeiraDiversos

    Na minha opinião,  o prêmio Emmy é mais importante que o Oscar. É isso mesmo! Embora eu adore cinema, a verdade é que a televisão é muito mais presente em minha vida e acredito que isso ocorra com você também. E tem um outro motivo: há tempos não temos chance de ver todos os filmes indicados ao Oscar (no cinema) antes da premiação, e isso tira grande parte do meu interesse pela cerimônia. Acho complicado torcer por um filme ou ator se eu não vi pelo menos a maioria dos concorrentes. E olha que teve o ano de 1995, no qual vi três filmes no mesmo dia só para me preparar para o Oscar (O Quatrilho, Nixon e Poderosa Afrodite).

    Mesmo antes da chegada da TV por assinatura no Brasil,  e antes da banda larga e seus downloads maravilhosos, eu já era fã de seriados. Mesmo picotados, dublados e sem créditos como a TV Globo tem hábito de fazer. Confesso que não assisto regularmente todas as séries que disputam prêmios na noite de hoje. Da maioria dessas, assisti os pilotos e não gostei o suficiente para continuar e poucas eu não vi sequer o piloto, mas posso dizer sem medo de errar, que algumas omissões na indicação me parecem absurdas. Qual a explicação para as duas sitcoms de maior audiência nos Estados Unidos, “Two And a Half Men” e “The Big Bang Theory”, ficarem de fora da premiação de melhor série de comédia? Não faz o menor sentido. E não é só por causa da audiência não. As séries realmente são ótimas. Jim Parsons, o impagável Sheldon de TBBT pelo menos foi indicado para melhor ator de comédia, já Charlie Sheen foi solenemente esquecido. O cara apronta todas fora da telinha, no entanto ele manda bem demais na série.

    Bem, depois do meu protesto, deixo meus votos  para as principais categorias e justificativas.

    Melhor Série de Drama: Breaking Bad, Dexter, The Good Wife, Lost, Mad Men e True Blood.
    Voto em Lost. Esse voto foi difícil. Gosto muito de várias dessas séries, porém com acho Lost uma das 5 melhores séries de tv de todos os tempos, levar a estatueta na sua última temporada me parece ser o mais justo e merecido.

    Simplesmente um clássico

    Melhor Série de Comédia: Curb Your Enthusiasm, Glee, Modern Family, Nurse Jack, The Office e 30 Rock
    Votaria em The Big Bang Theory. Como não posso, voto em Glee. É mais musical que comédia, mas essa série tomou a TV de assalto e não deixou pedra sobre pedra. E ainda homenageou o Journey… preciso dizer mais?

    Hit instantâneo

    Melhor Ator de Drama: Kyle Chandler (Friday Night Lights), Mathew Fox (Lost), Michael C. Hall (Dexter), Jon Hamm (Mad Men) e Hugh Laurie (House).
    Voto em: Michael C. Hall. Adorei o trabalho do Mathew Fox na temporada final de Lost, mas Michael C. Hall é simplesmente de outro mundo.

    Nosso assassino serial favorito

    Melhor Ator de Comédia: Alex Baldwin (30 Rock), Steve Carrell (The Office), Larry David (Curb Your Enthusiasm), Mathew Morrison (Glee), Jim Parsons (TBBT) e Tony Shalhoub (Monk).
    Voto em Jim Parsons. Esse voto nem precisa justificativa. O cara é o Sheldon. É um papel tão marcante que periga atrapalhar a carreira de Parsons, assim como Maxwell Smart/Agente 86 atrapalhou a carreira de Don Adams (vencedor de 3 Emmys consecutivos entre 1967 e 1969).

    Personagens marcantes demais

    Melhor Atriz de Drama: Connie Britton (Friday Night Lights), Glenn Close (Damages), Kyra Sedwick (The Closer), January Jones (Mad Men), Julianna Margulies (The Good Wife) e Mariska Hargitay (Law and Order: SVU).
    Voto em Julianna Margulies. Glen Close é um monstro e Kyra Sedwick arrasa, mas a atuação contida e precisa de J. Margulies merece ser premiada.

    Atuação cirúrgica

    Melhor Atriz de Comédia: Toni Collette (The United States of Tara), Eddie Falco (Nurse Jackie), Tina Fey (30 Rock), Julia Louis-Dreyfus (The New Adventures of Old Christine), Lea Michelle (Glee) e Amy Poehler (Parks and Recreation).
    Meu voto: Toni Collette. Não curti a série como um todo, mas a versatilidade de Collete tem que ser valorizada.

    Versatilidade

    Melhor Ator Coadjuvante de Drama: Aaron Paul (Breaking Bad), Martin Short (Damages), Terry O’Quinn (Lost), Michael Emerson (Lost), John Slattery (Mad Men) e Andre Braugher (Men of a Certain Age).
    Meu voto: Martin Short.Terry O’Quinn fez um trabalho incrível com seu FLOCKE e Micheal Emerson é assombroso, mas Martin Short fez melhor. Eu sei que é clichê, porém também é verdade: bons comediantes arrebentam quando fazem drama.

    As rugas ajudaram

    Melhor Ator Coadjuvante de Comédia: Chris Colfer (Glee), Neil Patrick Harris (How I Met Your Mother), Jesse Tyler Ferguson (Modern Family), Eric Stonestreet (Modern Family), Ty Burrell (Modern Family) e Jon Cryer (Two and a Half Men).
    Meu voto: Jon Cryer. Sério, como a comédia número um da TV americana foi tão esnobada? Cryer é muito mais que coadjuvante. É co-ator principal. Merece!

    Tá na hora de fazer justiça

    Melhor Atriz Coadjuvante de Drama: Sharon Gless (Burn Notice), Rose Byrne (Damages), Archie Panjabi (The Good Wife), Christine Baranski (The Good Wife) e Christina Hendricks (Mad Men).
    Meu voto: Archie Panjabi. Fiquei na dúvida nessa. Rose Byrne mereceu sérias considerações, no entanto a marrenta e misteriosa Kalinda de The Good Wife leva por um nariz. 🙂

    Qual será a praia da Kalinda?

    Melhor Atriz Coadjuvante de Comédia: Jane Lynch (Glee), Julie Bowen (Modern Family), Sofia Vergara (Modern Family), Kristen Wiig (Saturday Night Live), Jane Krakowski (30 Rock) e Holland Taylor (Two and a Half Men).
    Meu voto: Jane Lynch. Sue Sylvester não aceita perder e se depender de mim leva  o prêmio hoje. Como uma boa técnica de cheerleader, “com os pés nas costas”.

    O segundo lugar é primeiro perdedor!

    Meus votos são puramente baseados no meu gosto pessoal. Você discorda? Deixe seus votos nos comentários.

    Os canais Sony e AXN transmitem a cerimônia. A premiação começa às 21h, mas a cobertura começa às 20 com a chegada dos convidados ao Nokia Theatre.

    Posts Relacionados:

    Tags: , , , , , , ,
  • « Older Entries